21 - 23 SETEMBRO 2022
Expo Center Norte | SP

Empresas de segurança estão olhando para a sustentabilidade como um pilar fundamental de negócio

Conheça algumas soluções e iniciativas que o grupo SEGlife têm realizado a fim de aprimorar a proteção ambiental e a sustentabilidade

Fundado em 2009, o Grupo SEGlife busca se alinhar em três pilares fundamentais para tomar todas as suas ações, sendo eles, a sustentabilidade, a humanização dos seus serviços e o digital, quebrando antigos paradigmas que existem sobre empresas de segurança convencionais.

Confiram algumas iniciativas realizadas pela organização afim de continuar no caminho sustentável.

 

SEGURANÇA COM SUSTENTABILIDADE

Capacitação da equipe e motos elétricas já são realidade na SEGlife

 

Treinamentos de combate a incêndio e gestão de mananciais já fazem parte da agenda de capacitação dos quase 1.000 vigilantes da SEGlife há mais de 1 ano. Recentemente, a empresa deu mais um passo em sua proposta ambiental com a aquisição de motos elétricas para as rondas em parques naturais, parques urbanos e áreas verdes.

 

A aposta vai além das preocupações com o meio ambiente. “Queremos estabelecer um tripé de atuação pautado na vida, em todas as suas formas. Ser ambiental, digital e humano está no centro de nossa estratégia”, explica Silvio Ramos, CEO do Grupo SEGlife.

 

 

“Nossa experiência com a segurança de grandes áreas de preservação de São Paulo, como o Parque Estadual da Serra do Mar e outros que englobam Fundação Florestal do estado de São Paulo, nos deu um olhar diferente para os temas ligados à sustentabilidade", complementa o empresário, tem propriedade no tema. Atualmente, a SEGlife realiza a vigilância em mais de 19 parques do Estado, cobrindo uma área de aproximadamente de 332 milhões hectares, uma extensão que compreendem 25 municípios paulistas.

 

Orientações em relação ao descarte irregular de resíduos, prevenção e combate a incêndios e a proteção de animais silvestres também faz parte do dia a dia das equipes. “Todo o time tem isso em mente. Precisamos apoiar a sociedade na direção de um futuro mais sustentável”, explica Silvio.

 

As iniciativas ambientais também são parte da preparação da companhia para sua primeira participação na ISC Brasil, em 2022, principal feira de soluções integradas de segurança do Brasil. “Estamos empenhados em fazer valer nossa presença no evento. Queremos mostrar ao mercado que é possível aliar uma excelente prestação de serviços de segurança, unindo soluções digitais e ambientais, de maneira humanizada”, conclui Silvio Ramos.

 

 

CAPACITAÇÃO AMBIENTAL JÁ É REALIDADE EM EMPRESAS DE SEGURANÇA

SEGlife foca cada vez mais em sustentabilidade como meta para 2022

 

Aprender a forma correta de proteção e preservação entre eles, cessar incêndios, gerir mananciais e até mesmo lidar com a fauna e a flora já é realidade há mais de um ano para os quase 1000 vigilantes/brigadistas que compõem a SEGlife. A empresa de segurança patrimonial se mostra cada vez mais comprometida com a sustentabilidade.

 

Para o CEO do Grupo SEGlife, Sílvio Ramos, estabelecer uma relação de sustentabilidade é essencial para todos: “A SEGlife sempre se preocupou em proteger o patrimônio, e não existe nada maior do que o verde, que é um patrimônio de toda a humanidade”.

 

ATUANDO CADA VEZ MAIS EM PARQUES

Segundo Sílvio Ramos, o que mais ajudou a SEGlife a se preparar para essas mudanças sustentáveis foi sua atuação em grandes parques e áreas verdes no estado de São Paulo, trabalhando na proteção de grandes lugares como o Parque da ilha Anchieta, entre outros que englobam Fundação Florestal do estado de São Paulo. Porém, não é somente nesses lugares que a empresa está presente: “Atualmente, estamos presente em mais de 48 parques por todo o estado, cobrindo 500 mil hectares de área verde, aproximadamente, além dos parques urbanos onde o nosso foco é a comunidade/sociedade em vive no entorno”.

 

“Orientar sobre o descarte ilegal de resíduos, saber identificar focos de queimadas e possíveis incêndios, além de proteger os animais silvestres da forma correta”, essas são apenas um pouco das ações que os vigilantes da SEGlife são orientados sobre na hora de proteger o verde.

PROTEÇÃO SUSTENTÁVEL TAMBÉM NA TECNOLOGIA

“Não podemos somente orientar, como também dar o exemplo, por isso estamos investindo cada vez mais em soluções tecnológicas. Drones para monitorar áreas de difícil acesso já são reais, e realizamos recentemente uma compra de motos elétricas para substituir os modelos à combustão que nossos vigilantes utilizam.”

 

Sílvio quer mostrar todas as preparações que a SEGlife está realizando para um mundo mais verde ainda esse ano, na ISC Brasil, a principal feira de soluções integradas de segurança do Brasil: “É a nossa primeira participação nesta feira, e queremos fazer nossa presença valer, mostrar para todo o mercado que é sim possível integrar sustentabilidade e proteção ao verde com vigilância.”

 

DRONES SE MOSTRAM ESSENCIAIS PARA COMBATES DE QUEIMADAS

O uso de drones ajuda a localizar focos de incêndios em parques protegidos pela SEGlife

 

A tecnologia está cada vez mais presente em nossas vidas em diferentes setores, seja para melhor comodidade ou até mesmo para a nossa segurança, e é isso que o Grupo SEGlife vem implementando cada vez mais em seu meio de atuação na segurança de parques e áreas florestais com o uso de drones para detectar pequenos focos de incêndio e impedir que eles se alastrem.

 

Segundo o CEO do Grupo SEGlife, Sílvio Ramos, investir em tecnologia se mostra cada vez mais essencial: “Temos investido pesado em tecnologia para conseguir proteger ainda mais e atuar em espaços que não conseguiríamos antes, com o uso de drones em parques, conseguimos observar pelo ar coisas que não seriam possíveis por métodos comuns.” e ele complementa: “Existem muitas áreas de difícil acesso nos lugares onde atuamos, e os drones têm se mostrados essenciais para cobrir todo o espaço”.

 

E realmente é um espaço muito grande, especialista em proteção ao verde, a SEGlife cuida aproximadamente de mais 500 mil hectares de área verde, atuando em mais de 48 parques por todo o estado de São Paulo. “Nossos principais contratos no verde são com toda certeza os parques urbanos da cidade de São Paulo, e os estaduais que englobam o Parque Estadual da Serra do Mar/ Mata Atlântica, mas muitos desses parques contam com locais de difícil ou quase impossível acesso para seres humanos”.

 

TECNOLOGIA SEM PERDER A HUMANIZAÇÃO DO TRABALHO

“É sim importante focar na tecnologia para conseguir proteger ainda mais o maior patrimônio da humanidade, porém temos que manter um trabalho humano e mostrar para o público que nossos colaboradores não são vigilantes sem nomes.”, para isso, Sílvio diz que a empresa vem investindo bastante na capacitação de seus quase 1000 vigilantes para que eles atuem na proteção do verde realizando pequenos atos em favor do meio ambiente até mesmo fora do horário de trabalho.

E a proteção não se dá também só na área marcada, como também nas comunidades ao entorno dos parques: “Tem muita gente que mora perto dos parques ou passa por eles para voltar do trabalho, nossos colaboradores humanamente ajudam na proteção dessas pessoas com orientações de segurança e preservação, chegando até escolta-los de volta ao lar de noite e até mesmo levando as compras, quando se faz necessário”.

 

Sílvio está preparado para mostrar os resultados da sua busca por um mundo mais sustentável na segurança na ISC Brasil, a principal feira de soluções integradas de segurança do Brasil: “Trabalhamos duro todos os dias para tornar a SEGlife cada vez mais sustentável, e em breve será possível ver e analisar tudo que temos reservado para o ano de 2022”.

 

TECNOLOGIA SE ALINHA COM A SUSTENTABILIDADE PARA PROTEÇÃO EM PARQUES

Drones e motos elétricas são peças importantes para a SEGlife

 

O mundo da proteção de patrimônio está evoluindo a cada dia que se passa, focando cada vez mais em novas tecnologias, mas uma empresa paulistana, a SEGlife busca quebrar esses paradigmas e mostrar que também é possível aliar a sustentabilidade com a proteção de patrimônios.

 

Com seus quase 1000 vigilantes e atuando em 49 parques, cobrindo aproximadamente 500mil hectares² (o equivalente à 500 mil campos de futebol), Sílvio Ramos, CEO do Grupo SEGlife, vem a cada dia focando e investindo mais em novas tecnologias que também podem diminuir custos e emissões de gases poluentes: “Recentemente realizamos uma nova compra de motos elétricas para substituir as motos a combustão que usamos, entendemos que o meio ambiente é o maior patrimônio da humanidade e ele precisa ser protegido”.

 

É de parques a SEGlife entende, atendendo grandes nomes do estado de São Paulo como a Fundação Florestal – SP e prefeitura de São Paulo, Sílvio explica um pouco dos desafios: “Esses parques possuem muitas áreas de difícil acesso por conta da sua geografia, por isso começamos a empregar drones para sobrevoar esses locais e assim detectar ações que não seria possível para vigilantes comuns”.

 

TECNOLOGIA NÃO SUBSTITUI O TRABALHO HUMANO

Para uma empresa que os principais ativos são os seus colaboradores, Sílvio sabe que a humanização do trabalho é um pilar importante para a SEGlife. “Não podemos nunca esquecer que quem compõem a SEGlife são humanos e não máquinas, mesmo com o avanço da tecnologia. Boas condições de trabalho e capacitação, seja ela ambiental ou sociológica sempre está em nossas pautas”.

 

MOSTRAR SEU TRABALHO PARA O BRASIL

Sílvio Ramos demonstra estar bem animado com a recente expansão e maior avanço tecnológico que vem empregando a cada dia na SEGlife: “Estou preparado para mostrar a todos que estamos entre os grandes players do mercado quando falamos de segurança patrimonial.”. E essa oportunidade chegará ainda em 2022, com a realização da ISC Brasil, principal feira de soluções de segurança integrada, que já estava a mais de dois anos sem acontecer por conta da pandemia: “Nesse período nos preparamos e iremos participar da feira pela primeira vez em nossa história, estamos muito animados com essa oportunidade de mostrar que a segurança pode sim ser sustentável”.

SEGURANÇA SE ALINHA COM MOTOS ELÉTRICAS PARA UM MUNDO MAIS SUSTENTÁVEL

SEGlife realiza compra de veículos elétricos para locais em que atua

 

O debate por sustentabilidade vem forte em todos os setores do mercado, e isso não é diferente para quem trabalha com segurança patrimonial, pensando nisso, o Grupo SEGlife vem cada vez mais nos últimos anos investindo em novas tecnologias e em capacitação de pessoal para se alinhar à políticas mais sustentáveis, que ainda são presentes em poucas empresas do setor.

 

Recentemente, a mais nova compra da SEGlife se dá na forma de motos elétricas, que substituirão os famosos veículos à carbono que seus vigilantes - que já chegam em quase 1000 em todo o estado de São Paulo - utilizam para fazer rondas e se transportar pelo local de trabalho. Sílvio Ramos, CEO do Grupo SEGlife, comentou um pouco sobre o assunto: “Independente da área de atuação, todas as empresas têm o dever de buscar formas de aumentar a sustentabilidade, e proteger o maior patrimônio de toda humanidade, o verde”.

 

E à proteção ao verde é a especialidade da SEGlife, que reúne em seu portifólio de clientes grandes nomes como Fundação Florestal – SP e Prefeitura da cidade, totalizando mais de aproximadamente 450 mil hectares de área verde protegida pela empresa, composta por 49 parques. “Possuímos clientes nas mais variadas áreas, a busca pela sustentabilidade viria independente dos nossos clientes, pois procuramos sempre quebrar paradigmas impostos pelo público nas empresas de segurança”.

 

HUMANIZAÇÃO ANDA JUNTO COM A SUSTENTABILIDADE

Um passo muito importante na visão da SEGlife se dá que a sustentabilidade não pode só vir do administrativo da empresa, e sim participar do dia a dia dos próprios colaboradores: “Estamos investindo pesado em políticas e cursos de capacitação para todos os nossos colaboradores, o objetivo é que se entenda que eles possuem um papel fundamental na defesa do meio-ambiente”, e ele complementa: “Temos excelentes colaboradores, eles frequentemente ajudam as comunidades locais das regiões onde atuamos com escoltas até a residência durante a noite e até mesmo em levar as compras, mas precisamos também que esse cuidado vá para o ambiental”.

 

A SEGlife irá participar pela primeira vez em sua história da ISC Brasil, a principal feira de soluções integradas de segurança em território nacional: “Queremos mostrar aos grandes players nacionais que conseguimos competir com outras empresas de segurança e que nossas soluções sustentáveis podem trazer benefícios”. A feira irá acontecer pela primeira vez depois de dois anos sem edições por conta da pandemia.